RSS

Arquivo de etiquetas: Poesia

25 de Abril

Esta é a madrugada que eu esperava 
O dia inicial inteiro e limpo 
Onde emergimos da noite e do silêncio 
E livres habitamos a substância do tempo 

Sophia de Mello Breyner Andresen, in ‘O Nome das Coisas’

25Abri-2018

Anúncios
 
 

Etiquetas: , ,

Cada árvore é um ser para ser em nós

ÁrvoreEuropeiadoAno-SobreiroAssobiador-

Cada árvore é um ser para ser em nós

Cada árvore é um ser para ser em nós
Para ver uma árvore não basta vê-a
a árvore é uma lenta reverência
uma presença reminiscente
uma habitação perdida
e encontrada
À sombra de uma árvore
o tempo já não é o tempo
mas a magia de um instante que começa sem fim
a árvore apazigua-nos com a sua atmosfera de folhas
e de sombras interiores
nós habitamos a árvore com a nossa respiração
com a da árvore
com a árvore nós partilhamos o mundo com os deuses

António Ramos Rosa

Foi no Dia Mundial da Poesia que soubemos –  o Sobreiro Assobiador de Águas de Moura, o velho Assobiador com 234 anos,  ganhou o título de Árvore Europeia do Ano. Longa vida à vida longa que tantas vidas tem acompanhado! Orgulho!

 

Etiquetas: , , , ,

Poesia à solta no Agrupamento

Faça-se da poesia o ingrediente da surpresa, recheie-se a reunião de poemas a preceito, surpreenda-se o sorriso com o inesperado e eis que temos os Departamentos a lerem os versos por que não esperavam!

Foi assim no Agrupamento Sá da Bandeira, no Dia Mundial da Poesia!

 

Etiquetas: , ,

FAÇA LÁ UM POEMA 2018

FaçaLáumPoema18

Convite aos alunos

O Plano Nacional de Leitura, PNL2027, e a Fundação Centro Cultural de Belém, CCB, que todos os anos e com intenção de incentivar o gosto pela leitura e pela escrita de poesia, celebram o Dia Mundial da Poesia, vêm convidar-te a participar no Concurso FAÇA LÁ UM POEMA, que decorrerá entre fevereiro e março de 2018.
A ti, que gostas de ler e de escrever e que também gostas de dizer os teus textos em voz alta ou gostas de os ouvir lidos por outras pessoas –  a cúmplice perfeita para a tua sensibilidade:

Senhores jurados sou um poeta
um multipétalo uivo um defeito
e ando com uma camisa de vento
ao contrário do esqueleto
Sou um vestíbulo do impossível um lápis
de armazenado espanto e por fim
com a paciência dos versos
espero viver dentro de mim (…)

[‘Poesia Completa’, Natália Correia]
 

Etiquetas: , , ,

Março

 

Março generoso leu Florbela Espanca

Há uma Primavera em cada vida:
É preciso cantá-la assim florida,
Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar!

e  traz a   primavera para  todos. Em tempo de sol e renascimento, celebram-se leitura,  poesia, teatro, enaltece-se a matriz de todas as  esperanças: mês feminino, exalta-se a MULHER, a TERRA, a ÁGUA. Valoriza-se a VIDA, em toda a plenitude feminina.

 

 
 

Etiquetas: , , ,

Namorar

Namorar é estar em flagrante amor, andar em tonta poesia.

Assim o diz a Literatura, Romance ou Cinema.

Então, a Biblioteca expôs livros e cinema, poesia com música e corações, em flagrante delito

de Dia de Namorados!

 

Etiquetas: , , , , ,

Dia primeiro – 2017

Imagem relacionada

Ano Novo

2017 em poesia, com Carlos Drummond de Andrade:

Para você ganhar belíssimo Ano Novo

cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,

Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido

(mal vivido talvez ou sem sentido)

para você ganhar um ano

não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,

mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;

novo até no coração das coisas menos percebidas

(a começar pelo seu interior)

novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,

mas com ele se come, se passeia,

se ama, se compreende, se trabalha,

você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,

não precisa expedir nem receber mensagens

(planta recebe mensagens?

passa telegramas?)

 

Não precisa

fazer lista de boas intenções

para arquivá-las na gaveta.

Não precisa chorar arrependido

pelas besteiras consumidas

nem parvamente acreditar

que por decreto de esperança

a partir de janeiro as coisas mudem

e seja tudo claridade, recompensa,

justiça entre os homens e as nações,

liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,

direitos respeitados, começando

pelo direito augusto de viver.

 

Para ganhar um Ano Novo

que mereça este nome,

você, meu caro, tem de merecê-lo,

tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,

mas tente, experimente, consciente.

É dentro de você que o Ano Novo

cochila e espera desde sempre.

Carlos Drummond de Andrade

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 1 de Janeiro de 2017 em Bibliotecando, Poesia

 

Etiquetas: , , ,

 
%d bloggers like this: